Cursos de estética, cosméticos e treinamentos
Loading...

HIPERCROMIA 2


Tratamentos
O tratamento das desordens hiperpigmentares é realizadoà base de substâncias despigmentantes ou clareadoras da pele. Sabe-se que o tratamento da pele discrômica é, decerta forma, difícil, pois muitos compostos efetivos no tratamento apresentam propriedades irritantes e podem, em certos
casos, promover descamação (peeling). Observa-se tambémque o resultado satisfatório não é conseguido imediatamente,pois a despigmentação é gradual.
Os agentes clareadores podem agir por diferentes mecanismos de ação, mas todos ligados à produção ou transferência de pigmentos, ou seja:
• Destruição seletiva dos melanócitos;
• Inibição da formação de melanossomas e alteração
de sua estrutura;
• Inibição da biossíntese de tirosinase;
• Inibição da formação de melanina;
• Interferência no transporte dos grânulos de melanina;
• Alteração química da melanina;
• Degradação de melanossomas e querotinócitos.12, 23
Cada agente clareador possui características próprias que interferem na efetividade da sua ação. Características físicas, químicas, físico-químicas, terapêuticas, microbiológicas e
toxicológicas devem ser observadas no momento da escolha de um agente despigmentante, bem como a origem da discromiaa ser tratada.
O ácido kójico (5-hidróxi-2-hidroximetil-4H-piran-4-ona) é um metabólito fúngico obtido através da fermentação do arroz pelas espécies Aspergillus orizae, Flavus tamorii e outras bactérias Aspergillus esporulantes. É um despigmentante potente e não citotóxico uma vez que age inibindo a tirosinase através da quelação do íon cobre nos sítios ativos da
enzima suprimindo a tautomerização do dopacromo 5-6-dihidroxiindol-2-ácido carboxílico bem como inibe a conversãoda o-quinonas, norepinefrina e dopamina para a formacorrespondente de melanina. A vantagem do ácido kójico está na suavidade de açãosobre a pele uma vez que não causa irritação nem fotossensibilizaçãono usuário, possibilitando seu uso até mesmo durante
o dia. Porém, mesmo sendo facilmente incorporado em formulações devido sua hidrossolubilidade, o ácido kójico apresenta instabilidade de coloração tornando-se gradativamente amarelo ou marrom pela quelação com íons metálicos ou sua oxidação quando submetido a altas temperaturas na presença de oxigênio. Este problema é facilmente evitado com a adição de um quelante ou antioxidante à formulação e a sua manutenção em pH entre 3-5. 
É possível observar o efeito do ácido kójico, após duasa quatro semanas de uso contínuo, mas pode demorar maisem indivíduos com pele oleosa ou muito espessa. Os resultados
vão melhorando à medida que se continua a aplicação por até 6 meses. Sua concentração usual é de 1 a 3% em cremes e emulsões fluidas não iônicas, géis, géis-cremes e loções aquosas. 
 
O ácido glicólico ou ácido hidroxiacético é o mais simples representante dos alfa-hidroxiácidos e pode ser encontrado na cana de açúcar, beterraba, uva, alcachofra e abacaxi. Em baixas concentrações apresenta efeito de plasticidade- hidratação e em altas concentrações (6 a 20%) efeito esfoliante-descamante. Concentrações de 70% são utilizadas em peelings e provocam epidermólise em 3 a 7 minutos,dependendo do tipo de pele e da espessura da camada córnea.
 O ácido glicólico atua no tratamento de hipercromias,através de seu efeito esfoliativo, reduzindo a pigmentaçãoexcessiva na área tratada, sem afetar diretamente a melanina.
Encontra-se normalmente associado a outros agentes despigmentantes.
 
O ácido retinóico, vitamina A ácida ou ainda conhecidocom tretinoína, é uma substância lipossolúvel que necessita da presença de uma proteína específica (CRABP) para ser transportado, cujos níveis são maiores na epiderme doque na derme. 
O ácido retinóico age sobre a hiperpigmentação, através do efeito esfoliativo e dispersando os grânulos de melanina dentro dos queratinócitos, o que facilita sua eliminação através do aumento do turnover das células epidérmicas, ou seja, diminui o tempo de contato entre os queratinócitos e os melanócitos, promovendo uma perda rápida do pigmento disperso. É largamente utilizado como preventivo da hiperpigmentação pós-inflamatória, garante uma uniformidade na aplicação do agente peeling e promove uma reepitelização mais rápida.Está disponível em concentrações de 0,01% a 0,1% em cremes ou gel e em concentrações mais elevadas (1 a 5%) para uso em consultório, sob supervisão médica. Durante todo o período do tratamento e posteriormente é necessário o uso do filtro solar. 
 
Já a hidroquinona (1-4-dihidroxibenzeno) é o agente clareador mais conhecido e atua através da inibição da tirosinase, impedindo esta de realizar a conversão da tirosina em DOPA (diidrofenilalanina) e DOPA em dopaquinona. Outros mecanismos envolvidos são a diminuição da atividade proliferativa dos melanócitos a partir da inibição da síntese de DNA e RNA no seu interior, interferência na formação e degradação de melanossomas e a destruição de melanócitos.
Por apresentar efeito citotóxico sobre os melanócitos, a hidroquinona pode causar irritações cutâneas como queimação e vermelhidão. Altas concentrações podem levar aocronose com o uso continuo. 
A hidroquinona, por ser hidrossolúvel, é facilmente incorporada a formulações, mas quando estas entram em contato com o ar tornam-se marrons devido à oxidação, necessitado adição de antioxidantes e ajuste no pH (4-6) para estabilização. 
Os efeitos da despigmentação podem ser observados após poucas semanas ou meses e sua eficácia depende da concentração usada, da estabilidade e do veículo incorporado. É efetiva para o tratamento de hipercromias a 2% apresentando baixa incidência de efeitos adversos. Pode ser utilizadas na forma de cremes (5-10%), loção (2%) e solução (3%). É necessário o uso de filtros solares durante e após o tratamento para evitar recorrência de pigmentação.


Rua Machado de Assis, 60 Curitiba Paraná Brasil
(555) 041 30184406