Cursos de estética, cosméticos e treinamentos
Estética Em Curso
Cursos de Estética e Cosméticos

Microagulhamento X Dermaplaning


MICROAGULHAMENTO – A TERAPIA QUE INDUZ A PRODUÇÃO DE COLÁGENO – REVISÃO DE LITERATURA ALBANO, R.P.S1 ., PEREIRA,L.P2 ., ASSIS, I.B³



A técnica teve início na década de 90, como nome de “subincisão”. Primeiramente apresentada por Orentreich, sua finalidade era induzir a produção de colágeno no tratamento de cicatrizes cutâneas e rugas. Devido a técnica envolver lesão, foi denominada como TIC – Terapia de Indução de Colágeno (CIT – Colagen Induction Therapy). Na mesma década, o Congresso de Cirurgia Plástica e Reconstrutora em Madri, na Espanha e o Congresso Internacional de Cirurgia Plástica e Estética em Paris, na França, aceitaram e aderiram à técnica. Na ocasião, o cirurgião plástico Camirand (1997), descreveu resultados em punturações feitas com uma pistola de tatuagem em duas pacientes que apresentavam cicatrizes faciais hipercrômicas, causadas após um procedimento cirúrgico na face (facelifting). O objetivo foi de camuflar com tatuagem a cicatriz, com pigmentos da cor da pele. No entanto notou-se que a lesão causada pelas finas agulhas, desencadearam uma nova síntese de colágeno saudável. Mas somente em meados de 2000 que o cirurgião plástico sul-africano Dermond Fernands criou um aparelho apropriado para a indução de colágeno, constituído por um cilindro rolante cravejado de microagulhas. O novo designer permitia uma perfuração uniforme e rápida, além de permitir trabalhar em áreas maiores e com profundidades diferenciadas para cada região. Desta forma foi criado o Dermaroller, marca registrada e mais conhecida nos tratamentos de microagulhamento. A injúria provocada pelo microagulhamento, desencadeia através da perda da integridade do tecido, uma nova produção de fibras colágenas afim de reparar as fibras danificadas, a dissociação dos queratinócitos, a liberação de citocinas ativadas pelo sistema imune, geram uma vasodilatação no local Revista Saúde em Foco – Edição nº 10 – Ano: 2018 revistaonline@unifia.edu.br Página 458 da injúria, fazendo com que queratinócitos migrem para a região e reestabeleçam o tecido lesionado (Figura 2).Além da resposta fisiológica, as micropunturas facilitam a permeação de ativos no tecido (LIMA et al, 2013; DALBONE et al, 2014). Segundo Oliveira (2012) e Lima et al (2013), após a lesão, inicia-se a fase mais importante do tratamento, a cicatrização, que pode ser dividida em três fases:

1 – Fase inflamatória (1 a 3 dias): ocorre imediatamente após a lesão, formando coágulos para proteger de contaminação, liberando histamina e serotonina, promovendo a vasodilatação e fazendo a quimiotaxia de neutrófilos e monócitos, responsáveis pela liberação de queratinócitos. O novo tecido depende de fatores de crescimento (MDGF – Fatores de Crescimento Derivados de Macrófagos), que incluem os fatores derivados de plaquetas (PDGF), os fatores transformadores alfa, beta, os interleucina-1 e fator de necrose tumoral. Após 72 horas, os linfócitos T liberal a interleucina -1, reguladora da colagenase e as linfocinas. Estas são responsáveis pela resposta imunológica (SETTERFIELD, 2010)

. 2 – Fase proliferativa (3 a 5 dias): a ferida é fechada pelos processos de epitelização, angiogênese, fibroplasia e depósito de colágeno. Nestas etapas, a membrana da camada basal restaura os tecidos, a angiogênese (formação de novos vasos sanguíneos) promove nutrição e oxigênio, a fibroplasia se inicia de 3 a 5 dias após a lesão e pode perdurar por 14 dias, ativando os fibroblastos e a produção de colágeno tipo I e formação de matriz extracelular (CAMPOS et al, 2007). Segundo Setterfield (2010), o aumento de queratinócitos na presença dos fatores de crescimento epidérmicos é 8 vezes maior. Daí a importância de se fazer associação de ativos durante o tratamento com microagulhamento. Até o 20º dia do procedimento, a inflamação tende a diminuir para permitir a formação de um novo tecido.

3 – Fase de remodelamento (28 dias a 2 anos): nesta fase há o aumento da resistência tecidual. Tazima et al, (2008), afirma que nesta fase de remodelamento o colágeno tipo I passa para o tipo III , aumentando a força tensora do tecido em até 80%. O colágeno é a principal proteína da matriz extracelular. Sua estrutura rígida e helicoidal tripla de cadeia longa se assemelha a uma corda. Durante o processo de maturação, ela pode crescer de maneira desordenada, criando a cicatriz. A perfuração ordenada do roller no entanto, faz a orientação cicatricial de forma saudável. Esse processo pode levar até 2 anos, mas a recuperação da força de tração original na área lesionada pode chegar a 80% (SETTERFIELD, 2010) 

Representação do tempo de recuperação tecidual.

1º ao 2º dia · Ação dos macrófagos · Presença do componente inflamatório · Início da reepitelização

4º dia · Angiogênese (formação de novos vasos sanguíneos. Um processo normal do crescimento e cura)

4º ao 14º dia · Alinhamento progressivo de fibroblastos · Alinhamento progressivo de miofibroblastos · Produção de colágeno · Contração da matriz extracelular · Ação dos elementos de fabricação da matriz dérmica

14º dia a 2 anos · Remodelação colágena · Apoptose celular · Repigmentação 

ASSOCIAÇÃO TERAPÊUTICA As associações são necessárias para promover uma resposta rápida ao tratamento. Em geral são feitas nos intervalos de aplicação do microagulhamento, porém podem ter indicação pré ou pós início do tratamento. Das mais utilizadas, lista-se: *· Peeling químico – técnica consiste em promover a descamação da camada córnea da pele. Usa-se ácidos de acordo com a necessidade, ou seja, para hipercromias (ac. Lático, Salicílico, etc.), para acne (ac. Mandélico), para fotoenvelhecimento (ac. Glicólico), e assim por diante. ·* Luz intensa pulsada (LIP) – utilizada nos intervalos de tratamento de fotoenvelhecimento e hiperpigmentação. *· Radiofrequência (RF) e Carboxiterapia – com o objetivo de estimular a produção de colágeno, sugere-se o uso pré tratamento com microagulhamento. *· Vacuoterapia – associada ao tratamento de celulite, pode ser utilizada pré ou durante o tratamento.



Dermaplaning é um procedimento simples, rápido e seguro para esfoliar a epiderme e livrar a pele de finas

pêlos de veludo (penugem de pêssego) raspando a pele com uma lâmina estéril; tem poucos ou nenhuns efeitos adversos. Usando um bisturi e um toque delicado, o provedor simplesmente raspa a superfície da pele usando traços leves. É mais frequentemente usado em pacientes com pele áspera e seca e / ou hiperpigmentação superficial para melhorar o tom de pele. É um tratamento seguro para pacientes grávidas ou amamentando que desejam uma esfoliação profunda. Este tratamento pode ser recomendado para preparar a pele para peelings químicos, pois permite que os produtos penetrem mais facilmente no camadas mais profundas. Os resultados não podem ser vistos em um único tratamento. Acompanhamento com tratamentos de manutenção pode ser recomendado.

Riscos e efeitos colaterais:

 O dermablading pode criar raspagem, corte e / ou abrasão da pele.

 Muitos pacientes estão freqüentemente preocupados com o fato de o cabelo voltar a crescer mais e mais escuro após a plastificação; Este não é o caso. O cabelo irá crescer na mesma taxa e textura que antes do tratamento dentro de 4 - 6 semanas.

 Os pacientes que têm pele oleosa, acne inflamada ou são alérgicos ao níquel não são candidatos ideais para a

tratamento.

 Dermaplaning pode ser feito com a freqüência de duas semanas, embora geralmente seja feito quando o cabelo vellus começa a crescer de volta, que geralmente é daqui a um mês.

 Alguns pacientes podem apresentar vermelhidão, irritação, secura, erupções de acne pós-tratamento ou foliculite.

 Manchas e / ou herpes podem ocorrer após este tratamento.

Antes do tratamento:

 7 DIAS ANTES DO tratamento: Evitar a depilação 7 dias antes e depois deste tratamento.

• 3 DIAS ANTES DO tratamento: Evite produtos tópicos tais como tretinoína (Retin-A), retinóis, retinóides,

Ácido Glicólico, Ácido Alfa Hidroxi, Ácido Salicílico, ou outros "anti-envelhecimento", "acne" e "branqueamento" produtos. EVITE TAMBÉM encerar, branquear, pinçar ou usar creme depilatório na área a ser

tratado.

 Limpar a pele com um sabonete suave .

• Evite a exposição excessiva ao sol e use um protetor solar de amplo espectro diariamente de FPS 30 ou superior 

 Informe se você tem histórico de herpes facial e / ou nasal para receber aconselhamento sobre terapia antes do tratamento.

Dia do tratamento:

 Tente chegar ao CONSULTÓRIO com um “rosto limpo”. Por favor, não use maquiagem, se possível.

Imediatamente após o tratamento:

 É normal que a pele pareça vermelha e inflamada. Feridas leves podem se formar na área tratada e permanecer

24 a 48 horas.

 Interromper o uso de todos os produtos tópicos por 72 horas após o tratamento.

 Use um hidratante suave, conforme necessário .

 Limpar a pele com um sabonete suave 

 Não use maquiagem pesada no primeiro dia.

 Evite a exposição excessiva ao sol e use um filtro solar de amplo espectro diariamente de FPS 30 ou superior.
..
.. Tem interesse em qual curso? Venha conosco. 41 99996 7292 



Estética em Curso - Rua Machado de Assis, 60- Alto da Glória - Curitiba - Paraná - Brasil